segunda-feira, 20 de agosto de 2018

CFBio: Reprodução Humana é área do Biólogo





Acontece muitas vezes do Biólogo adentrar em áreas, se tornar reconhecido por outras classes, e os próprios Biólogos não saberem que podem atuar. Esse não é o caso da Reprodução Assistida, ou especificamente na área de embriologia clínica ou aplicada.

O Biólogo, além do conteúdo de anatomia humana, fisiologia humana, biologia celular, histologia, bioquímica, genética e biologia molecular, estuda o que chamamos de embriologia. Mas será que tive esse conhecimento? Muitos cursos de Ciências Biológicas ministram a disciplina de Embriologia, ou simplesmente a disciplina de Biologia do Desenvolvimento, e o conteúdo de embriologia está dentro dessa disciplina. Toda a base para se trabalhar com Reprodução Humana, é estudada pelo Biólogo, e mais, somos muito reconhecidos por isso.

O CFBio - Conselho Federal de Biologia, após um trabalho da Comissão de Saúde com o apoio da SBRA - Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida, editou e publicou a Resolução CFBio 478 de 2018, que norteia como o Biólogo se tornará habilitado para a atuação em laboratórios e clínicas de Reprodução Humana, além dos limites técnicos e legais.

Para entender o impacto, essa evolução e a aproximação do CFBio com Sociedades Científicas, fomos conversar com as próprias sociedades, que são referência quando se fala em treinamento e ciência dessas áreas de atuação. Conversamos especificamente com a Presidente da SBRA - Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida, Dra. Hitomi Nakagawa, Médica Ginecologista especializada em Reprodução Humana, que você confere abaixo:



1) Qual a importância para a SBRA, dessa aproximação com o Conselho Federal de Biologia?


Dra. Hitomi Nakagawa - A aproximação da SBRA com o CFBio é fundamental para se falar uma mesma linguagem, valorizando o profissional que se dedica a realizar o sonho de completar famílias. Assim como na medicina, o trabalho em banco de células tronco e tecidos germinativos necessita de um preparo longo, específico e reciclagem constante voltada para a área de atuação com suas peculiaridades.


2) Há muitos anos os Biólogos são os Embriologistas de muitas clínicas e laboratórios no Brasil. Essa aproximação demonstra o amadurecimento e a busca pela profissionalização, na visão da SBRA?

Dra. Hitomi Nakagawa - O incentivo à profissionalização e reconhecimento do biólogo embriologista é um dos pilares da SBRA. A equipe que compõe um serviço de reprodução assistida é multiprofissional: se a grande maioria dos médicos são clínicos, o embriologista é  geralmente, o responsável pelo laboratório de tecnologia de reprodução assistida (o "coração" da clínica).


3) A SBRA promove cursos ou concursos para obtenção de títulos na área de embriologia para Biólogos?

Dra. Hitomi Nakagawa - A SBRA promove cursos e eventos de embriologistas em seu Congresso, que é anual, e procura temas de interface entre as profissões para enriquecer a integração entre elas. Além de investir em capacitação, a SBRA foi pioneira na emissão de certificados para profissionais com reconhecida competência por meio de uma prova de títulos.


4) Biólogos podem se associar a SBRA?

Dra. Hitomi Nakagawa - Os biólogos que desejam conhecer melhor o campo de trabalho, sonham atuar na área da reprodução assistida, estão inseguros quanto a que área específica seguir podem se associar à SBRA e participar dos eventos científicos e de capacitação. Esses eventos inclusive podem ser uma oportunidade de primeiro contato com centros de reprodução assistida e integração com profissionais e experts nacionais e internacionais de uma área tão nova e dinâmica.

Obrigado, Dra. Hitomi!

Para saber mais: https://sbra.com.br/

Confiram agora a resolução sobre o assunto:



RESOLUÇÃO Nº 478, DE 10 DE AGOSTO DE 2018



Dispõe sobre a atuação do Biólogo na área de Reprodução Humana Assistida e dá outras providências.


Art. 1º Instituir normas regulatórias para atuação do Biólogo em Reprodução Humana Assistida no que se refere ao conjunto das atividades pertinentes.

Art. 2º O Biólogo é o profissional legal e tecnicamente habilitado a atuar em atividades de Reprodução Humana Assistida, em equipes multidisciplinares de empresas públicas e/ou privadas.


Art. 3º O Biólogo habilitado em Reprodução Humana Assistida, poderá atuar nas seguintes atividades, a fim de atender interesses da Saúde Humana:

I - prestar assessoria técnica, consultoria, emitir e assinar laudos e pareceres técnicos, bem como realizar auditoria, fiscalização e gestão relacionados, e assumir responsabilidade técnica de laboratório;

II - elaborar projetos e programas para atuar na área de Reprodução Humana Assistida, a partir de critérios éticos, bioéticos e sociais;

III - realizar manipulação de gametas; processamento seminal; espermograma; criopreservação seminal; análise, seleção e isolamento de espermatozóides e células da linhagem espermatogênica em fragmentos de testículo; atuar na identificação e classificação oocitária; criopreservação embrionária; classificação embrionária; bem como outras formas de atuação técnica do Biólogo, que possam subsidiar os processos de fertilização e Reprodução Humana Assistida;

IV - exercer atividades docentes nos níveis técnico, superior e de pós- graduação na área de Reprodução Humana Assistida e temas afins.

Art. 4º O Biólogo pode atuar como Responsável Técnico em setores laboratoriais relativos à Reprodução Humana Assistida, desde que habilitado pelo respectivo Conselho Regional de Biologia (CRBio).


Art. 5º O Biólogo poderá participar de todas as modalidades de licitações públicas e de concorrências privadas que visam à contratação de serviços de Reprodução Humana Assistida.

Art. 6º O Biólogo poderá complementar sua formação por meio de educação continuada em instituições de ensino e pesquisa e/ou entidades como associações profissionais, entre outras, ministrada por profissionais com titulação mínima de especialista ou possuidores de Notório Saber em uma ou mais áreas ligadas à Reprodução Humana Assistida, reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC).


Art. 7º De acordo com o desenvolvimento da ciência e da tecnologia, e considerando a evolução do mercado de trabalho na área da Reprodução Humana Assistida, poderão ser incorporadas outras atividades por deliberação do Plenário do CFBio.


Art. 8º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.




WLADEMIR JOÃO TADEI

Presidente do Conselho

Nenhum comentário:

Postar um comentário