sábado, 5 de outubro de 2013

Ciência x Dinheiro x Verdade


Recentemente recebi uma proposta para meu TCC. O tema seria "Divulgação Científica", mas confesso que nunca foi uma possibilidade para mim. Mas pensando sobre o assunto, me deparo mais uma vez com o que eu sempre soube!


A CIÊNCIA É CORRUPTA



Sim, ela é extremamente corrupta, e se você não for experiente, crítico e possuir olhos de "águia", vai publicar artigos com referências tão falsas quanto aquela nota de 1 real que te deram no bar da esquina. Seres humanos são corruptíveis, cientistas ou não.

Notícia em questão

Foi publicada uma reportagem na "Science", sobre como um cientista/jornalista mandou um artigo muito doido sobre propriedades anticâncer de um líquen. Acontece que essa pesquisa é falsa, seus dados são falsos, e tudo é falso afinal... mas MUITO maquiado. 

Ainda sim, de acordo com ele, qualquer pessoa com química de ensino médio e uma certa noção de interpretação de gráficos saberia que isso (artigo dele), não é publicável.

Simplesmente 157 revistas/jornais científicos aceitaram publicar o artigo. Bomba! Significa que revisores não sabem o que estão lendo? Ou a política é aceitar os artigos e pronto?

Mas algo me chamou a atenção. Nas diversas reportagens que li, vi uma certa tentativa de criticar as revistas de acesso livre. Daí começo a me perguntar? O que isso tem a ver com o estudo dele? Ele quer dizer que os revisores são ruins? Ou quer atacar revistas "de grátis"?

Já entenderam onde quero chegar? O que ele apresenta é verdadeiro, mas quanto de suas intenções devem ser analisadas criticamente?

Tudo bem, essas revistas pecaram pela análise do modelo, óbvio, mas quero estabelecer um contra ponto: Quem ganha com essa tentativa de desmerecer revistas? Ele? Revistas PAGAS? 

Quando entramos na universidade achamos tudo lindo, mas daí o tempo vai passando e nos deparamos com essas notícias. Lembram do psicólogo do ano passado?

Quem nunca ouviu falar de uma descoberta de um aluno, que o orientador vai lá e "rouba" todos os créditos? O contrário também é verdadeiro.

Quem nunca leu aquele artigo mais ou menos (cretino) que o autor se auto cita 100 vezes?

Quem nunca ouviu falar de um artigo com alto "impacto", mas que é horrível, mas seu autor é conhecido e apareceu na primeira página do jornal? E que um artigo publicado em uma revista regional, com REAIS descobertas e RELEVANTES para a sociedade as vezes demora 50 anos para ser levado a sério, e citado em algo melhor e com resultados semelhantes?

A Ciência não difere do mundo da Fama muitas vezes, só que ao invés de desejarem estrelar a próxima novela das nove, desejam única e exclusivamente publicar e publicar, e massagearem seus egos e ouvirem que fizeram um grande trabalho, mas que na MAIORIA das vezes nunca vai resolver problema algum!

Esses dias ouvi de um colega, que sua orientadora o fez refazer sua conclusão do TCC por não concordar com uma referência que corroborava com as descobertas dele. Sabem o motivo? Simples, porque veio de um artigo com ideologias diferentes! Só porque não era da turma de sistematas e ambientalistas, ela automaticamente criticou a referência! Isso é uma vergonha para a ciência!

Conselho de alguém que nunca publicou, mas já entendeu sobre como esse mundo funciona:

Quer realmente fazer a diferença? Leia tudo sem preconceito! Desde aquela revista/jornal mais simples, ao mais respeitado periódico. Sua resposta pode estar em um artigo publicado por um cara com formação e ideologia antagônica a sua! As vezes pesquisas e artigos ruins produzem resultados ótimos, e as vezes pesquisas caras produzem resultados maquiados de grandeza!

Ah, e sempre PUBLIQUEM AS FONTES, por mais que a maioria das ideias sejam suas!  Já vi gente que segue esse blog republicar notícia daqui, sem ao menos citar o Blog. 


Mas agradeço mais uma vez quem nos cita!


Um comentário:

  1. Isso me fez lembrar da época da faculdade. Os professores estimulam os alunos a produzirem artigos para todos os eventos, lógico que é com intuito de incentivar a pesquisa e produção, mas no entanto, acabam criando um péssimo vício, que é o de escrever qualquer pesquisa pouco fundamentada e sem uma "real utilidade", enquanto que alguns trabalhos que deveriam ser realizados são deixados de lado por serem complicados e exigirem muito esforço, e assim surge os escritores de artigos pouco embasados, e por vezes até fraudulentos. Sou a favor da ideia de lermos os mais diversos artigos publicados, só o que devemos fazer é analisar bem a fundo, e desconfiar, para que não acabamos por referenciar artigos fraudulentos.

    ResponderExcluir